M-PESA, a primeira plataforma relevante de Pagamentos via Celular do mundo!

Esse no ano, o M-Pesa (Pesa significa dinheiro em Suaíli, a língua falada no Quênia) completa 10 anos! É uma plataforma de pagamentos via celular, desenvolvida pela Safaricom. Esta é uma subsidiária de uma das maiores operadoras de celular do mundo, a Vodafone.

O impacto da utilização do M-Pesa na população baixa renda foi impressionante! Em um estudo feito pelo MIT em 2016 estimou que 2% da população do Quênia saíram da linha da pobreza devido a utilização desse serviço.

Você já ouviu falar do M-Pesa? Se não, vale a pena conhecer um pouco mais sobre a sua história!

Foto de um estabelecimento que aceita o M-Pesa como forma de pagamento via celular

Criado em 2007 pela Safaricom, a plataforma foi originalmente desenvolvida para permitir o repagamento de microcrédito pelo celular, reduzindo o custo e, consequentemente, as taxas de juros desses empréstimos. Logo após o piloto, o escopo foi alterado para uma plataforma de pagamentos “peer-to-peer (pessoa-para-pessoa)”.

Graças a posição dominante da Safaricom no país, o M-Pesa nasceu com 40.000 funcionários que convertiam a moeda real do Quênia em moeda digital e vice-versa. De lá para cá, o M-Pesa se tornou a maior plataforma de pagamentos via celular do mundo.

E conta com números impressionantes!

Imagem que mostra o número de usuários ativos no M-Pesa no Quênia, o número de pagamentos via celular realizados pelo M-Pesa no país, o número de agentes relacionados ao M-Pesa e a porcentagem de pessoas que saíram da linha de pobreza no Quênia.

Além de ser o usado para enviar e receber dinheiro, o M-Pesa também é usado para poupar dinheiro, pagar contas de luz, água e telefone. Ainda é possível fazer empréstimos, pagar mensalidades escolares e muitos outros serviços.

Sozinha, a plataforma é responsável por transacionar o equivalente a 44% do PIB do Kenya. Ela se tornou tão relevante até chamar a atenção das autoridades competentes. Estas começaram a ficar preocupadas com uma eventual quebra do M-Pesa e como isso impactaria a economia do país.

Mas após 10 anos, a Safaricom encomendou um estudo para a KPMG sobre o valor agregado que o M-Pesa gera para a sociedade. Nesse estudo, foram usados números de 2015.

A análise estimou que o M-Pesa criou um valor total para sociedade de 133,8 bilhões de Shillings Quenianos (o equivalente a cerca de 4,1 bilhões de reais). Isso é mais de 4 vezes o valor cobrado em tarifas pela Safaricom na operação do M-Pesa, no mesmo período. Isso também significa que o M-Pesa cria 79 Shillings Quenianos em valor para a sociedade Queniana em cada transação.

Imagem resultante de um estudo da KPMG, que mostra o valor social criado pelo M-Pesa

A maior parte do valor gerado pelo M-Pesa (85,8%) está relacionada ao aumento da capacidade dos usuários em poupar dinheiro.

Imagem que mostra os principais fatores que geraram valor para os consumidores Quenianos.

Os consumidores, claro, são os grandes beneficiados pelo M-Pesa. Mas os agentes e empresas também se beneficiam por:

  • Aumento de vendas;
  • Redução de custos operacionais;
  • Redução de roubos e fraudes;
  • Melhor controle sobre o fluxo financeiro.

Foto de um celular e na tela está escrito M-Pesa e algumas notas de dinheiro queniano

Após 10 anos, fica claro o sucesso alcançado pelo M-Pesa.

Não só como negócio, mas principalmente pelo impacto positivo que trouxe à sociedade do Quênia. Como mencionado, o valor social gerado equivale a mais de 4 vezes a receita gerada para a Safaricom.

Todos os participantes da plataforma foram beneficiados. E o maior favorecido de todos foi o consumidor final.

Devido ao M-Pesa, 2% da população do Quênia saiu da linha da pobreza, como mostrou o estudo do MIT.

Agora, vamos torcer para que esse caso se torne referência em outras nações. Assim, os pagamentos via celular e suas vantagens podem se tornar realidade em outros países do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *